Páginas

domingo, 9 de abril de 2017

Hoje a lua não apareceu

Está chovendo tanto que não consigo enxergar a lua. Ela deve estar escondida, assustada, se sentindo impotente perto que toda essa loucura que está acontecendo no céu. Ela deve estar se perguntando por que a chuva, as nuvens e os ventos de repente se tornaram mais importantes. Por que eles não a chamaram pra brincadeira e por que ela não tem forças pra aparecer, pra tentar falar com eles. Ela deve estar se sentindo sozinha, angustiada, e principalmente, indesejada. Pensando em como tudo isso aconteceu, como seus amigos sumiram, por que não havia ninguém ao seu lado. Um dia ela já ouviu palavras boitas, teve uma melhor amiga, foi para festas, se sentiu amada, se sentiu parte de um grupo, teve pessoas pedindo conselhos, abraços apertados, filmes com chocolate e risadas. Agora a única coisa que ela vê, sente e abraça é o vazio do universo. 

Talvez seja difícil para nós entendermos. São poucos que sentem essa solidão. E quando sentem, é por um dia. Mas e quando parece que vai ser por toda a eternidade? Tenho certeza que seu conselho seria que ela fizesse novas amizades, procurasse seus antigos amigos, fosse a uma balada ou um café. Ela quer fazer isso, ela quer se desprender dessa corrente que a aperta e sufoca, mas só de pensar em tentar, a corrente a espreme um pouquinho mais. Ela já tentou, mandou mensagens, fez ligações, foi simpática, mostrou interesse. Mas ninguém nota, só respondem que não vai rolar, só dizem que sentem saudade, que fica pra próxima. Ela falhou essa noite, com a chuva, as nuvens e os ventos. Ela falhará inúmeras vezes, com o sol, as estrelas e os cometas. Ela só deseja que na próxima noite de lua cheia, ninguém a deixe se esconder. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário