Páginas

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Esfriando o colchão


Quando o sorriso se fecha, posso sentir
Ainda posso ouvir a voz que grita dentro de ti
Implorando por um abraço de alguém que está aqui
Ao seu lado ou não, a sua alma esfriando o colchão
Necessito perdão
Mesmo que o erro não exista
Ainda que eu insista que sou o problema
Ainda que não exista um maior dilema
Do que aquele sempre presente em meus versos
Do que aquele que fere os amantes mais confessos
Peço-te perdão, não entendo estes sentimentos
Peço-te paciência, pois ainda estou aprendendo

Nenhum comentário:

Postar um comentário