Páginas

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Seja Agora

Quase enlouqueci procurando uma fórmula que fizesse tudo dar certo. Me preocupei com os resultados e consequências de cada escolha, como se já houvesse um mapa e eu precisasse segui-lo. Incansavelmente me vasculhei questionando, o que me fará feliz. Acreditei que lá na frente, me esperando, num futuro distante, estaria ela, a tal felicidade. Mas para encontrá-la, eu não poderia encostar nem o dedão do pé na estrada errada. Assim, fiquei na espreita, esperando. Arrastando os dias com indiferença, parada no tempo. Cultivei sonhos, não planos. Coloquei tantas expectativas no futuro que esqueci de prestar atenção no agora. Esqueci que minha felicidade não pode depender do lá, deveria acontecer aqui. A pressa de chegar em algum lugar me deixou cega. Desvalorizei o que estava a minha frente e tive medo das milhares de rotas que diariamente eu deveria escolher.

Percebi que não deveria pensar tanto, planejar cada passo, muito menos achar que só lá no futuro minha grama vai ser verde. E isso simplesmente porque nossa felicidade não depende de coisas externas. Não é um emprego maravilhoso, uma casa dos sonhos, nem um amor avassalador que vai trazer a paz de espirito. O que a traz é controle de nossas emoções e pensamentos. Então, até que ponto vale a pela esperar, deixar para amanhã? Ficar preso as possibilidades? Idealizar uma vida?

Nos atrevemos a querer comandar tudo a nossa volta, mas nada acontece exatamente do nosso jeito. Nos martirizamos com coisas pequenas, com apreensões, com o medo da frustração. Não seja uma dessas pessoas que fogem de um amor, que desistem de enfrentar um obstáculo, que carregam bagagens pesadíssimas, que ficam paradas, que focam no amanhã, que quase morrem se as coisas não saem como planejado. Não seja alguém que só vive na caverna de Platão. Seja sorridente, seja agora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário