Páginas

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Cuidado

Desde o começo, eu a avisei. Ele não serve pra ti. Daqueles que fazem de tudo pra te amarrar bem forte, e quando conseguem, soltam, largam na lacuna das desilusões amorosas. Enquanto ela não pensava em namoro, só queria um companheiro pra se divertir nas noites de sábado, conversar nos momentos de tédio e levantar sua autoestima durante a TPM. Ele tentava a manter por perto, sempre com convites, mimos e tentando impressiona-la. Ganhou a atenção e o carinho que queria, ela estava cada vez mais envolvida, entrando nessa barca furada. Ele até jogou um papinho de que estava se sentindo carente e sozinho, só pra fisgar a isca de vez. Foi aí que o jogo inverteu. Ela já toda boba, pensando nas tardes de domingo que gostaria de passar com ele, nos filmes que veriam juntos, nas viagens e carinhos. Imaginando que ele era diferente e que tinha tirado a sorte grande. Falando pra mim, sorridente, como ele é atencioso. Eu, farejando o perigo, a lembrei da mulher independente, decidida, que ela era lá no começo, tu não precisas dele. Ela foi se jogando, se entregando, na intensidade de uma flor que desabrocha. Ele começou com pequenos sumiços que aos poucos ganharam dimensões. Sou assim, às vezes eu sumo. Depois de tanto esforço? Recusou os convites dela. Aparecendo de vez em quando, só a chamava naqueles momentos que não tinha mais nada para fazer ou ninguém para ver.  Ele dizia que não estava em um bom momento para namorar, inventava desculpas e erguia bem o nariz orgulhoso de estar se mostrando autossuficiente e frio. Ela, minguando na tristeza de não entender o que fez de errado, estava tudo indo tão bem. Não fizestes nada de errado, tu, menina doce, inteligente, mulher sensual, dona de si, apenas encontraste mais um cafajeste, dos tantos que já encontrou e ainda encontrará. Segura esse choro, tenho certeza que encontrarás um homem mais bonito, mais maduro, mais cheiroso. Que odeia enrolação, que vai ser verdadeiro em cada palavra e gesto, vai te tratar como tu mereces, sem medo de te amar, mesmo sabendo que tens gênio difícil. Amiga, enxuga essa lágrima, eu sei que rejeição dói, mas tu nem gostava tanto dele, gostava do que imaginavas que ele era. Agora, cicatrizada e tranquila, consegues ver o idiota que ele fora? Com as convicções de mulher em busca de diversão e paz renovadas, pule no momento em que enxergar qualquer furinho ameaçando afundar as barcas da tua vida.




Um comentário: