Páginas

segunda-feira, 2 de março de 2015

Rei de copas

Eu não entendo teu jogo, cheio de armadilhas e regras. Tu não faz questão de me explicar, dizer o que está acontecendo ou está por vir, apenas atira os dados, pega cartas e se move. Parece que cada jogada tua é meticulosamente planejada, e teu comportamento não condiz com tuas palavras. Eu não sei o que estas pensando nem o que queres, e isso me irrita, me deixa em desespero. Procuro qualquer sinal que me ajude a te desvendar, mas parece que estou andando em certo espaço aberto e escuro, sem nada que possa me guiar. Qual o sentido disso tudo? O que eu devo esperar que aconteça? Ou simplesmente não devo esperar nada? Essa perguntas atormentam minha mente que já é bastante inquieta. Aconchego-me na cama e penso. Pensar cansa.Teu jogo me cansa. Fico exausta a ponto de querer desistir, abandonar tudo no meio da partida, esquecer teu perfume, esquecer o conforto dos teus braços e esquecer teu sorriso alegre. Não quero mais pegar cartas sem significado, esconde-esconde é brincadeira de criança, pega-pega já virou quase um insulto e campo minado eu nunca aprendi a jogar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário