Páginas

domingo, 29 de março de 2015

Me fazes tão bem

Meu corpo e minha mente andam em pé de guerra, enquanto meu corpo quase adormece tranquilo, minha mente me chacoalha com um turbilhão de pensamentos, quase frenética. Assim, nessa confusão de pensamentos emaranhados e difusos, tento me focar, buscar a estabilidade. Tento pensar em algo que chame minha atenção como um gato caçando uma borboleta. Penso em ti, nos detalhes que te compõe, nos compõe. Tu sempre te transformas em poesia na minha mente, cada gesto e emoção é um verso, cheio de alegria, doçura e tesão. Já nós, somos música, a mistura de letras e melodia, a harmônia explicita entre duas peças que se encaixam. Com naturalidade, sem esforços, somos nós, completando as lacunas um do outro. Somos almas que não se cobram, apenas se doam.
Há uma certa aura de agonia em silêncios, a procura de um assunto deixa as pessoas desconfortáveis. Mas quando estou contigo, o silêncio me transcende a um estado de espirito feliz. Não precisamos da fala para sabermos o que está se passando, nossos toques e olhares dizem tudo, somos apaixonados. Apenas tua presença, tranquila e sorridente, me basta. Mas não abro mão de tuas peculiaridades. Tua tez séria e acolhedora ao me consolar, tua expressão maliciosa quando me elogia e diz que faço pouco caso de mim mesma. Teu beijo na minha testa pra zombar da minha altura, afinal, perto de ti pareço ainda menor. Teu jeito engraçado de cantar e dublar as músicas, junto com uma ótima interpretação corporal. Quando teu abraço é forte e incrivelmente longo mostrando que me quer por perto. Tuas cantadas horríveis que arrancam muitas risadas de mim. E muitas outras coisas que só tu me proporciona.


Nenhum comentário:

Postar um comentário