Páginas

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Desafio que me move.

Poetas sempre falam sobre o que os olhos dizem, seu brilho, o quanto eles são compatíveis à personalidade e as emoções de uma pessoa. Sinto por não ter essa sensibilidade, tal qual me comove tanto. Vejo apenas olhos: azuis, verdes, castanhos, olhando para todos os lados e fazendo meu corpo estremecer ao olharem para os meus. Alguns grandes, outros pequenos, alguns cegos, outros que enxergam ser ver.
Eu poderia usar esta mágica para interpretar teus pensamentos, se eu a possuísse, e entender o que de fato está acontecendo entre nós. Tu me encaras e me sinto em um desafio vicioso, o que na verdade é bom, aguça minha curiosidade - apesar de não gostar da ansiedade que isso provoca em mim -, me delicio tentado decifrar tua expressão. A cada aventura que percorro nesse mundo de adivinhas, me sinto mais tua, mais fundo nessa brincadeira de sentimentos, palavras e olhares.
Como boa escorpiana, não sei viver sem fortes emoções e experiências intensas, sem mistérios para desvendar, sem surpresas positivas, sem algo que me revigore. Assim caminho, procurando o que me traga sorrisos, e em ti encontro.
Não sou de idealizar o futuro, que fique longe de mim expectativas frustradas, mas gosto de me jogar em delírios que não podem ser quebrados e retirados de mim. Escrever histórias sem medo da realidade. Apenas para saborear o ideal. Muitas vezes, minhas idealizações se concentram em ti. Teus mistérios, me inspiram. Teus olhares, me indagam.


Nenhum comentário:

Postar um comentário