Páginas

domingo, 23 de outubro de 2011

Qualquer sussurro.

Gostaria de usar a palavra "amor" para descrever o que sinto por ele, mas não acredito que seja uma palavra correta de se usar em uma situação como a que me encontro. A palavra "amor" é forte demais, significativa demais, intensa e poderosa para ser usada como descrição de um simples rolo adolescente. Que por acaso, foi desastroso. Tem também minha fixa ideia, que só é amor quando o sentimento é compartilhado, reciproco, uma verdadeiro amar entre duas pessoas. E este não é meu caso.
Percebo então, que tenho poucas formas de descrever tal sentimento, como "gostar", "sentir atração, e aquela que não poderia faltar para uma escorpiana como eu... a "cisma". E esses sentimentos bobos, fizeram de mim uma escrava da mesmice e tola o bastante para me humilhar, me declarar tendo a certeza de não ser correspondida.
Mas de certo ponto de vista, isso foi bom, aprendi. Fui me interessar logo por aquele que é apaixonado sem ser correspondido e por isso se acha no direito de buscar abrigo em todas, todas as tolas como eu, que acreditam em qualquer "eu te amo" e se "derretem por qualquer "você é tão linda", tolas como eu, que na extrema carência se torna tão vulnerável ao ponto de acabar gostando do primeiro que da um pouco de atenção.
Ilusão, doce ilusão, onde fui me meter? No abismo.
Mas o pior, é ter a consciência de tudo isso, dos machucados que ele deixou em mim, dos erros que cometeu -e que pode voltar a cometer- , e ainda assim continuar gostando dele. Por isso repito, é cisma. Mas isso pouco me importa, afinal, vou continuar visitando suas redes sociais, meu coração vai continuar acelerando só de ouvir o nome dele, e vou continuar sentindo tonturas só de saber que ele ficou com tal, saiu com tal ou está no mesmo local que eu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário